Celebridades

Orechiete e fish and chips no 24 Prince

Como centro global de produção midiática, é natural que Nova York seja uma cidade cheia de celebridades. Se isso acontece em relação a cinema e televisão, acaba extrapolando essa arena e chegando à comida. Se a primeira refeição na cidade foi no hypado restaurante do chef-estrela Anthony Bourdain (o único que estava cheio em toda a Park Avenue naquele dia), não demorou até aparecer um novo “restaurante celebridade”, o 24 Prince.

Tá certo, Nikki, chef e proprietária do restaurante, não é tão pop quanto Bourdain, mas seus 15 minutos de fama servem para o cartaz em frente ao restaurante, lembrando que ela foi uma participante do reality show culinário Top Chef.

Apesar de estar estampado na porta do local, o dado não consta da biografia dela no site do restaurante, que prefere dar atenção a sua habilidade e formação como cozinheira, com cursos e atuações. Uma resenha sobre o restaurante encontrada na internet também minimiza o papel de celebridade no cardápio e na comida, alegando que pode ser uma forma de dar início a um empreendimento de qualidade e com sucesso.

O fato é que passava das 14h, a caminhada pelo agradabilíssimo bairro de Nolita (ao norte da “pequena itália”) havia deixado com fome e de fora o ambiente do 24 Prince (que tem o nome por ficar nste número na rua Prince) era atraente – e havia um motorista na porta do local, que havia levado clientes e que incentivou a entrada dizendo que era boa comida e barata.

O cardápio, como apresentam as resenhas e o próprio site é “casual diner”, de comida tradicional americana – passando por hambúrgueres e “mac ‘n cheese”. A escolha ficou num tradicional inglês, entretanto, o fich ‘n chips, e uma massa, orechiette, com camarão. Como a maioria dos restaurantes mais simples de NY, os preços eram acessíveis, U$ 14 pelo primeiro e U$ 19 pelo segundo (todos os pratos custavam menos de U$ 20).

O peixe estava empanado perfeitamente, crocante, fresco por dentro, muito saboroso, acompanhado por ótimas batatas e molho tártaro e de vinagre balsâmico. A massa também estava excelente, servida com tomates, alho assado, folhas e poucos, mas grandes e frescos camarões.

Sem bebida, foi um almoço excepcional, que poderia dar fama à chef independentemenete de programas de TV.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s