O copo, o sanduíche e o jogo

Em primeiro lugar, o que importa: em eventos esportivos dos Estados Unidos se vende cerveja!!! Pode ser um país moralista, pode ser politicamente correto, pode proibir de mostrar embalagens de bebida alcoólica na rua e o escambau, mas não limita a cerveja durante o jogo do esporte nacional, como o Brasil faz atualmente com o futebol. O caso em questão aqui é outro esporte, o basquete, que é um dos preferidos dos americanos. No ginásio, há muitas opções de bebidas e comidas, a preços altos, mas que tornam o evento ainda mais divertido.

Telão do Madison Square Garden incentiva o time da casa

Evento é mesmo a palavra que deve ser usada para descrever um jogo de basquete nos Estados Unidos. O Monstro esteve na semana passada no Madison Square Garden, que se diz a casa de espetáculos mais famosa do mundo, e talvez seja mesmo. O jogo era entre os NY Knicks e o Chicago Bulls. O jogo acabou com vitória dos Bulls, de virada, por 115 a 109, mas ninguém pareceu ligar muito, não.

As Cheerleaders dos Knicks no intervalo do jogo

A festa começa bem antes do jogo, e é puxada pelo telão e por um sistema de som, que funcionam inclusive durante o jogo. Enquanto um jogador avança, toca músicas, tocam vinhetas, gracinhas e até ironias. O telão incentiva a torcida, empurra o time da casa, tentando atrapalhar o time visitante – mais coisas que o Brasil não permite no futebol (saudades da rádio Ilha). A festa acaba sendo longa, chegando a passar de três horas de jogo. Nos intervalos, é claro, vêm as líderes de torcida, para melhorar ainda mais o clima.

Os cachorros quentes: pão e salsicha

Para agüentar esse tempo todo é que vêm comidas e bebidas. Por todo o ginásio há pequenas áreas vendendo comidas como pipoca, salgadinhos, bolachas e os famosos cachorros quentes, como se vê sempre no cinema e na TV. Os preços são bem altos, mas vale pela experiência turístico-antropológica.

Cada cachorro-quente custa US$ 5,5, e vem apenas a salsicha, em um minúsculo pãozinho, com dois saches de mostarda e catchup. O sanduíche ate que é bom, pois a salsicha é daquelas especiais, temperadas, estilo alemão (Frankfurters). A vantagem desse simplicidade é que se come sem ficar todo sujo, como normalmente acontece com aqueles cashorros quentes cheios de recheio (até purê) encontrados no Brasil.

Bem, depois de toda a descrição, é preciso dizer que, apesar de vender cerveja livremente no ginásio (o que merece comemoração), o preço é quase proibitivo. Cada lata de cerveja com quase meio litro custa US$ 9 (9,5 em caso de chopp). Juntando com o cachorro quente, pagar quase R$ 30 por uma cerveja e um sanduíche fica meio fora dos padrões brasileiros.

Serviço:

Madison Square Garden
4 Pennsylvania Plaza
New York, New York 10001
Site

Anúncios

3 Respostas para “O copo, o sanduíche e o jogo

  1. Tem coisas que nao tem preco… O primeiro boneco de neve, uma carona numa jangada na pajucara, ou um mergulho na costa amalfitana… invista nisso… um dogao num jogo dos knicks significa a podridao da humanidade. 3s… Seco, saboroso, simples!

  2. Tão bom quanto o dogão é o copo de batata frita que eles vendem la no estádio. CURTI MUITO.

  3. Pingback: Comida e campo « Monstro na Cozinha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s