Réquiem para o Starbucks Latino

É bem verdade que, de forma bem genérica, o americano costuma tomar cafés fracos, ralos, sem graça, parecendo mais um chá. Não dá para negar entretanto, que com o crescimento das redes de cafeterias como Starbucks, esta tradição vai perdendo pouco a pouco espaço para ótimos espressos, curtos e fortes. Ainda não existe a tradição brasileira, do cafezinho, mas já há boas ofertas espalhadas por cidades como Nova York.

O interior do finado Juan Valdez da Times Square, no último dia de funcionamento

Entre essas boas ofertas, um que muitas vezes é apontado como origem do melhor café do mundo na atualidade, da Colômbia. Em Manhattan havia duas cafeterias da rede colombiana Juan Valdez, que reúne os principais cafeicultores do país. O clima de réquiem deste post é que uma dessas lojas fechou na última semana, e o Monstro esteve nela, pertinho da Times Square, em sua despedida. Agora há apenas um, na rua 57, pertinho do Central Park.

A estrutura do Juan Valdez, que foi visitado também em Bogotá há quase dois anos, é bem comercial, quase parecendo o Starbucks. Mas o café muitas vezes é melhor. As cafeterias começaram a ser montadas somente em 2002, e já são mais de 140 na Colômbia, no Chile, no Equador, nos EUA e na Espanha. A rede é propriedade da federação dos cafeicultores da Colômbia.

Segundo uma reportagem de economia, a loja da Times sq foi uma das primeiras a abrir nos EUA, e teve atéa presença do presidente Alvaro Uribe em sua inauguração, em 2004. O fechamento seis anos depois ocorreu por conta do alto preço do aluguel do espaço e por conta de uma mudança no padrão de consumo de café dos americanos desde a crise, passando a fugir dos custos de cafeterias em nome da economia do café caseiro.

Croissant e Pan de Bono, opções salgadas para acompanhar o café colombiano

Do ponto de vista de visitante, um ótimo diferencial do Valdez em comparação com o concorrente Starbucks estava além do café, na oferta de comidas. Os americanos são dependentes de grandes quantidades de açúcar, então as cafeterias oferecem quase exclusivamente items doces na parte de comidas. Para um brasileiro dependente de pães de queijo e outros salgadinhos, isso chega a ser desesperador. na visita ao Valdez, não só havia pães e croissants salgados como o pan de bono, a versão colombiana do pão de queijo  (mais sem graça, aparentemente feito com trigo, mas ainda assim válido).

Serviço:
Juan Valdez

Leia também:
Visita do Monstro ao Starbucks Latino em Bogotá

Juan Valdez to close flagship NYC coffee store

Pandebono – Colombian Cheese Bread

Anúncios

Uma resposta para “Réquiem para o Starbucks Latino

  1. Caio Gasparini

    Infelizmente, este blog anda chatíssimo.

    O relato de gororobas é tão interessante quanto “desvendar” as porcarias que se comem em praças de alimentação de shoppings na hora do almoço em dias úteis, ou “descobrir” o impacto de uma lasagna congelada Sadia.

    Torço para que lhe volte o tempo de inventar algumas coisas e compartilhar essas experiências.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s