Em busca do hambúrguer perfeito 6 – O café com leite

A dúvida atormentava: o que fazer em relação ao McDonalds?

A marca de comida mais famosa já criada no mundo está tão presente no Brasil quanto nos Estados Unidos, então não faria tanto sentido falar desse fast food em um mergulho gastronômico por Nova York (além disso, é comida trash, e já teve gente reclamando que o Monstro só tem falado de comida trash). Por outro lado, é na repetição de algo que existe nos dois lugares que ficaria clara a diferença entre sabores e temperos entre os dois países. Ainda por cima, o Monstro está procurando o melhor hambúrguer do mundo, e o Mc serve hambúrgueres no mínimo populares. Por último, passava da 1h da manhã na volta de um bar ótimo, mas caro, havia fome e quase tudo estava fechado no caminho até em casa, então vamos lá, encarar o McDonalds nova-iorquino – infelizmente.

Eles não estão em toda esquina, mas 70 McDonalds em Manhattan é bastante coisa

Em primeiro lugar, como já foi comentado por aqui, dois pontos importantes. Em Nova York não há Mcdonalds em toda esquina, como se pode pensar. Em algumas regiões é até difícil encontrar algum deles. Muito mais populares são os Subways. Dito isso, mesmo sem estar em “todas” as esquinas, há quase 70 lanchonetes da rede espalhadas somente por Manhattan, especialmente em Downtown, o que é MUITO!!! O segundo ponto é cultural. Fast Food como o McDonalds, KFC e afins é vista de forma pejorativa como comida de pobre, rápida e barata, bem diferente do aspecto quase chique que se dá a restaurantes deste tipo no Brasil (é uma visão pejorativa, mas todo mundo come lá uma hora ou outra, diga-se).

Os sanduíches de "luxo", com mais de 150 gramas de carne (e cheio de sabor de nada) - o da esquerda levava bacon também (e era melhor), mas não foi o "clássico" experimentado pelo Monstro

Aposto cultural à parte, eis que o Monstro fez sua refeição de fim de noite no Mc da Union Square, voltando para casa. Sem pestanejar, e sem querer ser crítico chato da rede, foi a pior refeição que fez durante os dois meses em Nova York. O hambúrguer estava sem gosto, sem graça, passado do ponto (nem se pede ponto no Mcdonalds), as batatas estavam frias – tudo ruim mesmo. E o Monstro não rejeita completamente o McDonalds, que muitas vezes salva o plantão de trabalho ali na paulista com sanduíches até bonzinhos.

O Angus Deluxe: a cara é até boa - o sabor, não.

A opção escolhida foi o suposto principal sanduíche (tirando os clássicos), o Angus Burger Deluxe, que é a versão do Mc para os sanduíches com pedaços altos de carne comuns nos EUA. Com um terço de libra (150 gramas), é quase o equivalente a três hambúrgueres normais da Mc, e era 150 gramas de “sola de sapato”. Vinha ainda com tomate, cebola, alface, duas fatias de queijo e picles. Na foto da propaganda ele até tem uma cara boa, mas não é bom. Qualquer Big Tasty, com aquele monte de molho melequento, é bem melhor. E não foi nem tão barato assim, chegando a U$ 7 com batata e refrigerante, o mesmo preço do Blue9.

O sanduíche na propaganda

Foi uma surpresa tão desagradável que o Angus Deluxe virou café com leite na disputa pelo hambúrguer perfeito. É um “hors concours” invertido: tão ruim que não vai ser nem levado em consideração.

Serviço:
Mapa dos Macs em Manhattan

Anúncios

Uma resposta para “Em busca do hambúrguer perfeito 6 – O café com leite

  1. Elias Rodrigues

    Grande Monstro,
    Acho que vc está paulistano demais, e como tal as vezes chato. Que tal nos próximos posts fazer comparaçoes com o que se come no recife por exemplo?
    abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s