Nova York para nova-iorquinos

Um dos mais importantes guias de gastronomia e turismo de Nova York na verdade foi escrito para não-turistas. Ele é tão dedicado aos “locais” que este é até o nome dele: Not for Tourists.

Manhattan vista de fora, desde o Brooklyn

A premissa do pequeno livro e do site na internet é que quem mora em uma cidade grande, como Nova York, também tem motivos para precisar de um guia que ajude a “usar” a cidade. “Eles precisam usar os sistemas de transportes da cidade, a infraestrutura do governo, as lojas, os restaurantes, os pontos noturnos”. Por mais que haja revistas especializadas no assunto, que existam as páginas amarelas e a bíblia gastronômica do Zagat, o NFT, como é chamado de forma simplificada, busca ser mais acessível para consultas, mais informativo e mais local de que os guias de turismo. A ideia é ser uma ferramenta do dia-a-dia nova-iorquino.

A principal vantagem do guia é este olhar local sobre a cidade, sem listar restaurantes “obrigatórios” para quem vai ficar apenas uma semana a passeio, como fazem os guias de turismo, e trazendo uma abordagem mais real de Nova York. Eles também trazem análises mais autorais e subjetivas sobre os restaurantes, diferente do que acontece com guias turísticos – OS editores chegam a dizer que, se forem maltratados pelo atendente do restaurante ou se acharem que ele não vale a pena apesar da moda e do nome, riscam ele da lista imediatamente.

O guia NFT de Nova York abre sua seção de comidas explicando um pouco da cultura de restaurantes da cidade, alegando que quem mora ali come muito na rua porque as cozinhas dos apartamentos costumam ser minúsculas, todo mundo está sempre ocupado e preparar algo em casa sai somente “15% mais barato”. “Para nova-iorquinos, comer fora é simultaneamente uma ciência e uma forma de arte. Já que temos tantas opções, não parecemos ser cpazes de desperdiçar nenhuma refeição em uma escolha de restaurante ao acaso. (…) Com mais de 28 mil opções, sempre conseguimos achar o lugar perfeito”. E termina admitindo uma característica de quem mora na cidade: “somos totalmente mimados”.

O NFT faz uma listagem diferente dos restaurantes de Nova York. Em vez de especialidades, como acontece normalmente, ele cria novas categorias. “Eating Old” traz os clássicos históricos, como o Oyster bar, o PJ Clarke’s e outros restaurantes abertos desde o século XIX. “Eating Cheap” oferece opções econômicas, mas de comida boa, como o Shake Shack, o Papaya King e outros lugares com refeições completas abaixo de U$ 10. “Eating your wallet”, em contraposição, lista os lugares mais caros da cidade, como o Per Se, o Babbo, o Le Bernardin e outros lugares em que uma refeição passa facilmente de U$ 150. “Eating Hip” apresenta o que está na moda, com clima de exclusividade, filas e gente bonita, como o Spotted Pig e o Momofuku Ssam. “Eating Late” traz os restaurantes abertos até mais tarde, e há seções especiais para pizzas, carnes e vegetarianos, além, claro, dos restaurantes étnicos.

O primeiro livreto (ele tem um tamanho de bolso para ser fácil de ser carregado e custa U$ 17) foi lançado em Manhattan em 2000, e demorou 3 anos sendo preparado. Em 2010 a franquia já tinha crescido e chegado a 12 livros diferentes, incluindo trabalhos específicos sobre outros boroughs de NY, como Queens e Brooklyn. Uma grande vantagem dele é trazer mapas localizando cada restaurante e estruturando as opções por bairro, para facilitar o planejamento.

O NFT tem uma interessante lista de restaurantes favoritos que foge completamente do que aparece normalmente como melhores da cidade. Nenhum dos cinco restaurantes listados como parte dos 50 melhores do mundo está lá. A lista, eles admitem, não é consenso, mas traz, o Blue Ribbon, o Sigiri, o Babbo, o Arturo’s, o Kefi e o Kuma Inn, a maior parte bem menos frequente nos guias gastronômicos de Nova York. Talvez seja por que eles seguem a cabeça mais independente de quem mora na cidade.

Serviço:

Not For Tourists – Restaurantes

Anúncios

2 Respostas para “Nova York para nova-iorquinos

  1. Oi, gostaria de elogiar seu site ,é muito bom mesmo , eu faço o possivel pra acompanhar cada post parabens mesmo, queria fazer isso que voce ta fazendo , fico muito entusiamado e com fome , do jeito que vc escreve. é tao interessante quanto anthony bourdain só faltou as satiras e humor negro kkk…meu sonho eh viajar e fazer muitas coisas q voce fez…voce tem algum levantamento de quanto vc gastou ate agora desde o começo só com comida? abraços

    • oi Aldo,
      valeu pelos elogios. vou tentar incluir um pouco mais de humor negro à bourdain. hehehe.
      Eu também sonhava em fazer isso, viajar e comer, com tempo e sem muitas preocupações.
      Não tenho um levantamento do gato total ainda não, mas pretendo fazer isso em breve e jogar ai no blog.
      um abraço
      daniel

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s