A melhor comida do mundo pelo melhor preço da cidade

A restaurant week, que começou agora em NY, sempre se apresenta como uma ótima oportunidade de comer bem e barato em cidades como Nova York e São Paulo, mas não e preciso esperar por ela para encontrar ofertas perfeitas para equilibrar custo baixo e o benefício da melhor gastronomia do planeta.

Amouse bouche servido no Jean Georges, cubo de melancia com pimenta, cubo de queijo com geléia e azeite e caldo quente de gengibre

Duas vezes por ano, os restaurantes de Nova York se reúnem para oferecer menus especiais a preços mais acessíveis de que o normal, com refeição de três pratos por U$ 24 no almoço ou de U$ 35 no jantar, por pessoa (sem contar imposto e serviço, que jogam os preços para U$ 30 e U$ 44, e sem bebidas). É uma época em que os restaurantes ficam cheios, as reservas são mais disputadas e há oportunidades de encontrar boa comida a bons preços. Mas não é a única.

Sashimi de truta salmonada com ovas no almoço do Jean Georges

Muitos dos restaurantes estrelados de Nova York têm alternativas baratas da sua comida excepcional ao longo de todo o ano. Normalmente isso funciona no almoço, horário em que as pessoas da cidade costumam fazer refeições rápidas na rua e não há fila para reservar mesas e alguns restaurantes ficam vazios. Em vez de fechar as portas, eles oferecem menus mais simples e baratos para atrair pessoas com limite na conta bancária, turistas e refeições de negócios. É assim que pode-se encontrar um menus em restaurantes premiados por menos de U$ 30 por pessoa.

Foie gras brulée, servido om capinha crocante de açúcar caramelizado

As duas melhores opções de custo e benefício de Nova York são os restaurante Jean Georges e o Eleven Madison Park. O primeiro tem três estrelas do Guia Michelin, é considerado “excepcional” pelo “New York Times”. Durante a noite, a refeição no Jean Geroges custa U$ 98 por pessoa, mas todos os dias é possível comer lá por U$ 29 pelo menu de dois pratos no almoço.

Frango com capa de parmesão com alcachofras e molho de limão

Inaugurado em 1997, o Jean Georges fica no Columbus Circle, a esquina sudoeste do Central Park, onde ficam outros restaurantes estrelados. Ele tem um ambiente formal, que exige uso de paletó (gravata é opcional) e onde é melhor fazer reserva com pelo menos um dia de antecedência, por mais que tenha uma parte de bar onde não é exigida tanta formalidade ou reserva. Foi o primeiro grande empreendimento do chef francês Jean-Georges Vongerichten na cidade, e depois do sucesso ali, montou vários outros restaurantes pelo mundo.

Salmão com couscous, molho de tomate e uma fina fatia de pele de peixe frita

O Monstro almoçou no Jean Georges nesta sua última semana morando em Nova York. Fez reserva na véspera, chegou ao lugar ao meio dia, foi rapidamente levado à mesa e recebeu um atendimento impressionante. O menu de almoço inclui dois pratos, uma entrada e um principal, que podem ser escolhidos de uma lista com mais de uma dúzia de opções. A comida é deliciosa, diferenciada, exclusiva, sem esvaziar todos os bolsos.

Sobremesa do Jean Georges, com bolinho de chocolate, sorvete de baunilha e ganache de mel

Antes de servirem a entrada, enquanto se escolhem os pratos, o JG oferece pequenos amouse bouches. Um cubo de melancia com chili e manjericão, impressionante, e um cubo de queijo com azeite e geléia de frutas vermelhas. Vem também uma pequena sopa de gengibre.

E entrada, foram escolhidos dois pratos bem diferentes. Um era um sashimi de truta salmonada, fresca, cortada em cubos e deliciosa, junto com ovas de truta, um caldo de limão e um creme de horseradish, uma raiz forte natural. Combinação excelente. A segunda entrada era ainda mais excepcional, um foie gras brulée, servido quase como um creme brulée, frio e com uma capinha quente e crocante de açúcar caramelizado, por cima de uma torrada.

O primeiro prato principal foi um pedaço de coxa de frango confit, desossada e assada lentamente em gordura, coberta com uma camada crocante de queijo parmesão. Vinha acompanhada por pedaços de alcachofra e um molho amanteigado de limão.

O segundo prato principal, pedido pela esposa, era um filé de salmão cozido acompanhado por um couscous, um molho de tomate e um pedaço crocante de pele de salmão empanada e frita. Estava igualmente delicado e gostoso.

Amouse bouche do Eleven Madison Park

Além do menu, o JG oferece a opção de pedir pratos adicionais por U$ 15. Os dois pratos do menu são suficientes como refeição, mas pode-se experimentar mais pratos pagando um preço não muito mais alto. O restaurante tem uma carta de vinhos gigantesca, com opções boas desde U$ 40 ou com taças de U$ 12. De sobremesa, há algumas opções interessantes de cerca de U$ 10. O Monstro pediu um petit gateau quente acompanhado de sorvete de baunilha e uma ganache de mel, muito bom.

Gourgères, pãezinhos de queijo leves e bons

A outra opção de perfeita combinação entre economia e comida de altíssimo nível é um pouco menos badalada por não ter três estrelas do Michelin, mas apenas uma. O Eleven Madison Park está, entretanto em 50º lugar na lista de melhores restaurantes do mundo segundo a revista “Restaurant” e também recebeu a nota máxima do crítico do “New York Times”.

Manteiga especial preparada com leite de cabra, suave e macia

Parte do império gastronômico de Danny Meyer, um dos empresários com mais força na cena da alimentação nova-iorquina, o Eleven cobra U$ 95 pelo menu mais barato no jantar, mas tem uma opção de dois pratos no almoço por U$ 28. Em vez de separar entre entradas e pratos principais, ele oferece uma lista aberta para que o cliente monte a combinação que achar mais interessante.

Spatzle com carne de porco e cogumelos

O Eleven fica em frente à Madison Square, onde fica o Shake Shack, hamburgueria da moda que também pertence a Danny Meyer. É preciso fazer reserva com um dia de antecedência para sentar no salão principal do restaurante, mas há uma área de bar com mesas menores, menos formalidade e que pode ser acessada sem reserva. Assim como no Jean Geroges, há centenas de opções de vinhos, começando por cerca de U$ 45 por garrafa.

Macarrão com molho de limão e carangueijos

No almoço em que o Monstro teve no Eleven, a refeição começou com pãezinhos, manteiga de luxo, uma manteiga especial preparada com leite de cabra, cubinhos de marshmallow com sabor de cenoura e torradinhas de geléia de frutas e patê de foie. Tudo muito bom.

Carneiro com berinjela

As entradas escolhidas no Eleven estavam entre as coisas mais gostosas comidas durante os seis meses em Nova York. A da esposa era um spatzle, a massa tipo nhoque alemão que não leva batatas, acompanhado por um pedaço de carne de porco assada e cogumelos. A do Monstro era uma massa tipo tagliolini em um molho de manteiga, limão e pimenta e coberto com carangueijo do Alaska, e estava sensacional.

Lasanha de lagosta

Os pratos principais foram um carneiro com berinjela e iogurte, muito saboroso e uma lasanha de lagosta, que vinha com duas ou três camadas de massa e um enorme pedaço de cauda de lagosta no meio, tudo coberto com um caldo tipo bisque de lagosta, sensacional. Este segundo prato, entretanto, exigia o pagamento de U$ 15 adicionais por conta da lagosta, o que valia cada centavo.

trio vermelho de sobremesa

O almoço foi encerrado com uma sobremesa que era um trio de frutas vermelhas, com  um sorvete delicioso de morango, um creme vermelho e um bolinho.

Esses dois restaurantes são o melhor exemplo de alta gastronomia premiada a preços acessíveis. Não chega a ser exatamente barato o custo final de no mínimo U$ 80 pela refeição, é verdade, mas mesmo extrapolando o custo do menu por pessoa e incluindo uma garrafa de vinho, sobremesa e coisas do tipo a conta não passa muito de U$ 120 (cerca de R$ 200), que é até menos do que pode custar uma refeição completa em bons restaurantes de São Paulo, mas com a marca e o reconhecimento internacional na cidade mais cosmopolita do mundo.

Serviço:
Jean Georges
1 Central Park W
New York, NY 10023
(212) 299-3900

Eleven Madison Park
11 Madison Ave
New York, NY 10010
(212) 889-0905

Não acredita? Então olha aí também…
Jean Georges no NYT

Eleven no Yelp

Anúncios

2 Respostas para “A melhor comida do mundo pelo melhor preço da cidade

  1. Em primeiro lugar, parabens pelo blog, sempre passo por aqui para ver dicas de NYC!
    Uma sugestão que tb tem um ótimo custo beneficio na hora do almoço é o Le Bernadin, que na minha opinião é o melhor restaurante de peixes de NYC!
    Fica a dica

    • oi carola,
      obrigado pelo comentário e pela sugestão.
      já fui, sim ao Bernardin, e breve publicarei aqui um post sobre isso. de fato é excelente, mas mais caro de que esses ouitros de que falei neste post.
      abs
      daniel

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s