Arquivo do mês: novembro 2010

Vida frita

Anthony Bourdain, chef celebridade do ótimo Les Halles, costuma dizer que faz a melhor batata frita do mundo. As fritas do restaurante dele de fato são deliciosas, crocantes por fora e macias por dentro, mas a declaração dele é meio exagerada.

As fritas apimentadas que acompanham o sanduíche no Burger Burger, no Financial District

Em um mergulho gastronômico em Nova York, nenhuma comida é tão onipresente quanto as batatas fritas, acompanhando desde o café da manhã, o lanche, o almoço e o jantar. As do Les Halles estão entre as mais marcantes para o Monstro, mas há fortes concorrentes em lugares mais simples, baratos e menos badalados.

As batatas do Marks, pequena hamburgueria na St. Marks Place, são memoráveis, e deixam saudade. As batatas com tempero picante no Burger Burger, no financial District talvez tenham sido as mais surpreendentes.

As boas fritas onduladas no Shake Shack

O mais importante é que os americanos sabem o que estão fazendo, então o normal é encontrar um acompanhamento deste bem respeitável em quase todos os lugares. Raras vezes, a não ser em fast foods, são daquelas fritas padronizadas congeladas e sem graça. O mais comum são batatas em grandes pedaços, sequinhas e crocantes.

A TimeOut divulgou nesta semana uma pequena lista com as melhores batatas da cidade. O Monstro conhece apenas três das dez listadas. Estão lá as batatas do Shake Shack, do Pommes Frites e do Balthazar. O Shake Shack tem boas batatas, cortadas onduladas, mas sem absolutamente nada de especial. O Pommes Frites talvez seja o único lugar especializado apenas em fritas, no East Village, e o Balthazar tem umas batatas bem fininhas e interessantes, mas que não se destacaram tanto para o Monstro.

Veja a lista da TimeOut

Os novos hambúrgueres

A revista Time Out diz que a cada dia a disputa pelo título de melhor hambúrguer de Nova York fica mais intensa. Por mais que o fantástico Black Label (no Minetta Tavern) continue sendo considerado o melhor da cidade, a edição online da publicação traz uma lista com novas opções bem interessantes.

Veja a lista na página da revista

Bolinhos de grão de bico

É possível que já existam quase tantas barracas de rua vendendo falafel e outras comidas de origem árabe (halal) quanto carroças de cachorro-quente nas ruas de Nova York. Algumas dessas são simples e servem comidas bem sem graça, mas às vezes é possível encontrar ótima comida deste tipo.

A rede de TV CBS fez uma lista para escolher o melhor falafel, o bolinho frito de grão de bico, da cidade.

Tem opções interessantes por todos os cantos. A lista completa pode ser vista aqui.

O clássico em casa

Com saudade do mac ‘n cheese que vendia na rua de casa em Nova York, preparei no almoço uma versão caseira do prato de macarrão gratinado com queijo. Usei quase exclusivamente ingredientes industrializados, para deixar o gosto ainda mais parecido com o que se come tradicionalmente nos Estados Unidos: molho branco pronto, caixinha de molho cheddar (sabor artificial de queijo, praticamente) e massa de tubo contorcido.

É só ferver o molho (junto a um toque de outros queijos e um pouco mais de leite, juntar a massa, colocar num refratário, cobrir com papel alumínio e assar em fogo baixo por 30 a 40 minutos.

Ah, vale colocar um pouco de farelo de pão por cima, para deixar mais brilhante e crocante.

ficou bem bom, e bem parecido com o prato símbolo da comida de criança americana.