Arquivo do mês: novembro 2011

Risoto com arroz japonês e queijo

Risoto de queijo gorgonzola com arroz japonês.

Risotos italianos são ótimos, mas muito trabalhosos. É preciso ir incorporando o caldo aos poucos, enquanto se mexe constantemente o arroz. Por isso este risoto rápido foi feito de forma diferente, usando arroz japones específico para sushi, em vez de arbóreo ou carnarolli. O arroz foi preparado da forma simples, em panela tampada, ficando pronto em cerca de 12 minutos. Ao final, incorporei cubos de gorgonzola e servi. Ficou com bom sabor de queijo, mas o arroz se pronunciava menos. A textura também não era a mesma, mas quebrou um galho pela facilidade.

Ervilhas com bacon e ovo

Ervilhas refogadas com bacon e cebola e servidas junto a um ovo estrelado coberto com pimenta do reino, ainda com a gema mole. Usei ervilhas cozidas no vapor, mas teria ficado melhor com ervilhas frescas. Em Paris, havia comido prato parecido, em que ervilhas refogadas com bacon acompanhavam deliciosamente uma codorna assada.

A orelha

Texto de Camila Perlingueiro, editora da Memória Visual e responsável pela publicação do livro “Comendo a Grande Maçã”, que será lançado no dia 7/12 em São Paulo e no dia 10/12 no Recife.

Ainda estava em Nova York, e começava a pensar em juntar as ideias publicadas no blog para fazer um livro sobre a gastronomia da cidade quando minha amiga Luciana Mastrorosa, da revista Menu, sugeriu que procurasse Camila Perlingueiro, da Memória Visual.

Luciana estava lançando o “Pingado e Pão na Chapa“, livro em que reúne histórias gostosas de café da manhã, e até já tinha falado do meu projeto para Camila, que se tornaria minha editora.

De volta de NYC a São Paulo, organizei a estrutura do que seria o “Comendo a Grande Maçã” e comecei a procurar editoras. tinha pensado primeiro na Publifolha, que tem tradição em guias de viagem, mas não rolou, e mandei o projeto na mesma época para a Memória Visual e outras duas editoras médias.

Não demorou nada desde que eu mandei a primeira mensagem, ainda em 2010, e Camila já me respondeu falando que publicaria o livro. Eu ainda não tinha ideia do quão acertada seria a decisão de fazer “Comendo a Grande Maçã” pela memória Visual.

Atenciosa e sempre muito simpática (e paciente), Camila abraçou a ideia do livro, se empolgou com o projeto e conseguiu fazer uma edição belíssima, toda colorida. O trabalho dela valorizou muito o que eu tinha feito.

Trabalhamos juntos (mesmo que de longe) por muitas semanas até finalizarmos o livro. Sofremos juntos com a fome e a vontade de comer de novo tudo o que há em Nova York, bem como com a saudade da cidade. Graças a ela, o livro ficou bem mais interessante de que uma simples reunião de textos sobre a gastronomia de Nova York.

Imagem

Convite para lançamento no Recife (10/12)

convite_nyc_pe

Convite para o lançamento em São Paulo (7/12)

A contracapa

Minha querida amiga Cristina Fibe assina o texto de apresentação na contracapa do meu livro “Comendo a Grande Maçã – uma viagem gastronômica por Nova York”, que vai ser lançado no começo do próximo mês.

Este texto é formado de trechos retirados do prefácio, escrito por ela.

Cris era correspondente da Folha de S.Paulo em Nova York na época em que morei lá. Ela acompanhou bem de perto todo o “trabalho” de sair comendo tudo o que havia nos restaurantes da cidade – ela até estava presente em algumas das refeições.

Convidada por mim, ela topou fazer o prefácio e escreveu a bela apresentação que abre o livro.

“Comendo a Grande Maçã” vai ser lançado em São Paulo no dia 7 de dezembro, das 18h30 até 22h na Livraria da Vila, na Vila Madalena.  Em breve posto o convite com todas as informações.

Comendo a grande maçã – o livro

A comilança virou livro. A experiência que vivi em Nova York como o “monstro na cozinha” foi organizada de forma séria e muito bem editada em um guia informativo, colorido e cheio de fotografias que vai ser publicado no próximo mês pela editora Memória Visual.

O lançamento oficial vai acontecer no dia 7 de dezembro, na Livraria da Vila, na Vila Madalena, em São Paulo. E todos os que leem o blog estão convidados desde já.

O livro traz um pouco da história de Nova York e de seus restaurantes, explica como funciona a cultura local e sua relação com comida. Além disso, claro que fala dos restaurantes mais estrelados, dos que servem comidas étnicas de diferentes partes do mundo, do que há de fast food e das comidas mais bizarras que encontrei.

A estrutura do livro permite que ele seja lido do começo ao fim em um texto corrido, com subdivisões, que ajuda a entender melhor a comida em Nova York. São mais de 150 páginas, intercaladas com fotografias. A ideia é que ele fosse interessnte não apenas para quem pretende viajar para Nova York, mas também por quem já conhece a cidade e por interessados em gastronomia em geral.

Além disso, claro, ele foi organizado de forma a servir como guia de verdade, ajudando os viajantes a planejarem cada uma de suas refeições durante a visita à Grande Maçã.

Tudo começou só por diversão. Fazia o blog do Monstro na Cozinha quando viajei para os Estados Unidos em 2010 (em um projeto de pesquisa mais voltado para economia e política) e decidi que  manteria ele atualizado desde Nova York. Foi quando o blog “Monstro” virou “Comendo a Grande Maçã”.

Durante os seis meses em que vivi em Nova York, publiquei aproximadamente 120 posts no blog com referências a comidas na cidade. Visitei mais de uma centena de bares e restaurantes, comi tudo o que encontrei pela frente e acabei tendo uma das experiências mais sensacionais do mundo – e ganhando mais de 6 quilos.

Durante o período, li tudo o que encontrei pela frente a respeito da cultura gastronômica da cidade e decidi aprofundar o que havia no blog, escrevendo este guia que vai ser lançado.

Foi provavelmente o livro mais prazeroso de escrever que já existiu. A experiência agora serve como referência, e espero que seja tão gostoso de ler e de viajar por suas páginas.