Arquivo do mês: dezembro 2011

Filet do rei

Podia ser um restaurante do Recife, que adora a denominacao de “rei”. No Moraes, o filet reivindica a realeza. A carne eh macia e gostosa, embora nao chegue a se destacar por temperos especiais. O prato comercial no almoco custa $30.

20111229-130530.jpg

Anúncios

Um vinho

Veio de paris e estava guardado desde entao.

20111228-123523.jpg

À venda nas melhores livrarias

Na correria de fim de ano, a distribuição do livro “Comendo a Grande Maçã” pelas livrarias acabou acontecendo com alguns dias de atraso em relação ao lançamento. Desde o fim de semana, entretanto, o livro já está à venda em livrarias de São Paulo, do Rio de Janeiro e do Recife.

Além disso, ele já está sendo vendido pela internet pela Livraria da Travessa, que oferece até mesmo uma promoção de quase 20% sobre o preço de capa com que o livro é distribuído. Por R$ 30,89 (que podem ser divididos em até 3x sem juros) é possível receber o livro em casa, em qualquer parte do Brasil, sem ter que ir à livraria… É SÓ CLICAR AQUI.

A distribuição continua crescendo, e brevemente estará nas principais lojas do país e em mais sites de venda pela internet.

Nascimento no Recife

Nasceu sábado (10), no Recife, o meu livro “Comendo a Grande Maçã – Uma viagem gastronômica por Nova York”.

Foi o segundo evento de lançamento, seguindo o que aconteceu dias antes em São Paulo, e juntou alguns dos melhores amigos na livraria Poty, no Centro da cidade.

O livro chegou ao mundo com 160 belíssimas páginas editadas com primor pela Memória Visual, que já está começando a distribuir a obra pelas livrarias. O resultado da obra impressa ficou muito bom. Ele já está sendo distribuído por todo o Brasil.

Além do próprio lançamento, houve um pequeno e delicioso banquete que incluiu uma versão do hambúrguer da capa do livro e uma salada servida dentro de uma maçã. Obra de Ester Aguiar. Quem não foi, perdeu!

O livro na TV

Nota do Bom Dia Pernambuco, da TV Globo Nordeste, sobre o lançamento de “Comendo a Grande Maçã” no Recife. O livro vai ser lançado amanhã, sábado (10), na livraria Poty, na rua do Riachuelo, 202, Boa Vista.

O vídeo está aqui e no Link abaixo

http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM1725152-7823-LANCAMENTO+DE+LIVROS+NA+PROGRAMACAO+DESTE+SABADO,00.html

Nascimento

Nasceu ontem, em São Paulo, o meu livro “Comendo a Grande Maçã – Uma viagem gastronômica por Nova York”.

Ele chega ao mundo com 160 belíssimas páginas editadas com primor pela Memória Visual, que já está começando a distribuir a obra pelas livrarias. O resultado da obra impressa ficou muito bom. Até a próxima semana, ele vai estar espalhado pelo país e vendido pela internet.

O lançamento paulistano ocorreu na Livraria da Vila, com a presença de grandes amigos (muito obrigado a todos!).

No próximo sábado (10), haverá um novo encontro de lançamento, dessa vez no Recife.

Sumário – um resumo do livro

Antes de qualquer lida no prefácio ou na introdução, é o sumário de um livro serve como referência do que pode ser encontrado dentro dele. É ali que o leitor começa, que se localiza, que decide o que ler em que ordem. É ali também que começa grande parte do trabalho de redação e edição da obra – já organizada segundo os temas e ideias.

O LANÇAMENTO É NESTA QUARTA (7/12) EM SP E NO SÁBADO (10/12) NO RECIFE

Quando lancei “Por um fio” – meu primeiro livro, uma coletânea de entrevistas-, um erro fez com que a primeira impressão saísse sem essa lista dos entrevistados e dos temas, o que em certa medida afasta os leitores.

Em “Comendo a Grande Maçã”, que vai ser lançado amanhã em São Paulo, todo cuidado foi tomado para que o índice ajudasse a refletir o livro.

Ali encontram-se os temas que dividem a obra em capítulos. Desde o prefácio, a apresentação e a introdução, onde há um pouco da história e da cultura gastronômica de Nova York, passa-se aos 15 capítulos.

No 1º, por exemplo, há um pequeno resumo dos hábitos novaiorquinos relacionados à alimentação, explicando, por exemplo, que quase todos comem fora diariamente. O 2º e o 3º capítulos tratam das comidas típicas locais – americanas e de NY – enquanto o 4º capítulo mostra a tendência globalizante de reunir restaurantes de todos os países do mundo na masma cidade.

O 5º capítulo foi um dos mais interessantes, e engraçados, de escrever. Trata-se de uma lista de comidas “bizarras” que encontrei. Tem a barra de chocolate frita, o bacon coberto com chocolate, o ovo vendido em caixinha, tudo o que soa estranho, mas que pode até ser bem gostoso.

Entre o capítulo 6, sobre os casual dinners (redes de restaurantes como o Outback), e o 8, sobre fast food, há um capítulo voltado à alta gastronomia e as mais de 80 estrelas que o Guia Michelin indica ali.

O capítulo 9 trata das opções para quem tem umac ozinha em NY e pode (e deve) comprar comidas in natura em supermercados e feiras da cidade – são muitas e excelentes.

O 10º capítulo, em contraste, é sobre as opções encontradas para juntar o turismo e boas refeições, com dicas de restaurantes em museus e próximos a atrações.

Em seguida vem um capítulo só sobre doces, com destaque especial para os cannolis, símbolo da presença italiana na cidade –  e um outro só sobre bebidas, incluindo drinks e cervejas produzidas localmente.

Já se aproximando do final, o capítulo 13 é um guia sobre guias, indicando onde o viajante guloso e curioso pode encontrar mais informações e dados mais recentes sobre a cena gastronômica de Nova York.

Por último, os capítulos 14 e 15 reúnem dicas. No primeiro, indico uma seleção de “dez mais” – como os restaurantes que valem a viagem, os que pode-se comer bem e barato e os que são caríssimos. No último, uma lista simples de dicas para consulta rápida, quase resumindo todo o livro.

“Comendo a Grande Maçã” tem ainda uma lista com endereços, telefones e sites de todos os restaurantes citados, além dos agradecimentos, bibliografia e referências de todas as fotografias utilizadas.