Arquivo do mês: janeiro 2012

Debaixo da árvore

A convite da querida tia Zélia, almoçamos no Figueira Rubayat para comemorar o aniversario de Luiza. A costela de tambaqui na brasa estava sensacional, e o acompanhamento de palmito na brasa é impressionante. O bife de chorizo pedido na mesa estava muito bom, e até o couvert eh uma delícia.
So nao é um lugar para ser visitado sempre por conta dos altos precos (média de cem reais por prato).

20120112-154403.jpg

20120112-154423.jpg

20120112-154444.jpg

20120112-154510.jpg

BLT de tender

Versão aberta do sanduíche BLT (Bacon, Lettuce and Tomato) trocando o bacon por fatias de tender.

O tender foi refogado na manteiga, e o santuíche foi montado sobre uma torrada com queijo cottage, finalizando com um pouco de azeite de oliva, flor do sal e folhas de manjericão.

Escargots

Escargots na manteiga com ervas acompanhados por nhoque de batatas.

O Brasil não tem hábito de comer lesmas, mas elas são deliciosas como entradas servidas e muitos dos restaurantes de Paris. Na última viagem, trouxemos uma lata de escargots já cozidos e conservados. Depois de alguns meses, ela foi aberta e as lesmas assadas em manteiga de ervas (manteiga batica com cebola, alho, cebolinha, salsa, manjericão e alecrim). Logo que a manteiga ferve, no forno, o prato está pronto para ser servido.

Coloquei os escargots por cima de nhoque de batatas (De Cecco), que abosrveram muito bem o caldo de manteiga e ervas, mas que deixou a sensação de que faltava uma torrada ou algo mais crocante para acompanhar.

Peixe na manteiga

Garoupa assada ao forno coberta por molho de manteiga e ervas e camarões frescos.

Durante a viagem de natal, ao Sul de Santa Catarina, comemos em Garopaba uma anchova deliciosa, assada no forno com manteiga de ervas. Ao voltar ao São Paulo, tentei fazer algo parecido.

Comprei uma garoupa bem fresca, preparei um creme misturando manteiga e ervas (salsa, cebolinha, alecrim, maericão e hortelã) espalhei por cima do peixe, cobri com camarões frescos e coloquei no forno dentro de um “envelope” de papel manteiga. Ficou cerca de 50 minutos em fogo baixo ate ficar pronto.

Risoto verde

Risoto temperado com molho pesto preparado com manjericão e amêndoas torradas.

O arroz foi preparado pelo método tradicional de risoto (refogado com cebola no azeite e manteiga, incorporado de vinho branco e de 3 partes de caldo de legumes para cada parte de de arroz, aos poucos). Ao final da incorporação do caldo, juntei o molho pesto preparado em casa, além de manteiga e parmseão- deixando descansar em seguida.

Para o molho, usei muitas folhas de manjericão da pequena horta caseira, pimenta, sal, alho, azeite e amêndoas torradas. Tudo foi batido no pequeno processador. Juntei, ao final, amêmdoas inteiras, que deram um toque crocante.

O sabor do pesto fica mais suave de que em algumas massas, mas é bem incorporado ao arroz, que foi comido sozinho, mas poderia ser acompanhamento de alguma carne.

Waffle salgado com presunto doce

Waffle preparado em casa com tempero de queijo parmesão servido acompanhado por fatias de tender refogadas na manteiga e cobertas com melaço de cana. O presunto de tender, salgado e com sabor defumado, faz um contraste fantástico com o doce do melaço, e o waffle faz muito bem o papel de acompanhamento, também contrastando doce e salgado.

Cortei as fatias do tender que foi ganho de natal, coloquei na frigideira com manteiga para dourar e por fim cobri com o melaço, que formou uma calda por cima do presunto.

Preparei o waffle em casa, com as medidas padrão (3 ovos, 2 xícaras de leite e 2 de farinha de trigo, além de sal, açúcar e fermento químico) e adicionei 50 gramas de queijo parmesão ralado. A receita serve para quase uma dúzia de waffles, mas aguenta umas 24 horas na geladeira. Os waffles foram preparados em máquina da Britânia específica para isso.