Brincando de casinha

Sanduíche de bacon e cheddar da casinha verde de Greenwich

Sanduíche de bacon e cheddar da casinha verde de Greenwich

O melhor sanduíche de bacon de Londres provavelmente não está em nenhum restaurante ou lanchonete especializada. O melhor lugar para encontrar um lanche rápido e barato acompanhado de um bom chá pela metrópole inglesa são pequenas casinhas pintadas de verde e instaladas em calçadas ou mesmo no meio da rua. Pode perguntar a qualquer taxista da cidade, eles conhecem bem estas cabanas – afinal, elas foram construídas para eles, tanto que seu nome é cabmen shelter (abrigo de taxistas).

Casinha verde - Abrigo de taxistas de Notting Hill

Casinha verde – Abrigo de taxistas de Notting Hill

Essas casinhas verdes fazem parte do cenário londrino há 130 anos. É tanto tempo, que os taxistas para os quais elas foram pensadas não dirigiam carros, mas guiavam carruagens puxadas por cavalos transportando pessoas pelas ruas da cidade no final do século XIX. Os abrigos foram criados em uma época na qual os “motoristas” dos “táxis” ficavam do lado de fora de carruagens, guiando os cavalos que puxavam a carroça. Por ficarem expostos às intempéries, passou a ser necessário criar um abrigo para eles.

Hoje em dia é fácil ver os abrigos em diferentes partes da cidade. Há pelo menos 13 deles em funcionamento, além de algumas cabanas independentes que copiam o modelo, e muitas vezes é o cheiro de bacon, ovos e linguiça que eles espalham pelas ruas que atrai os olhares a ele. Dentro das pequenas casinhas, há uma cozinha funcional preparando sanduíches, cafés da manhã, lanches, chá e café. Tudo vendido por preços relativamente baixos – alguns sanduíches custam apenas 2 libras.

O Monstro frequentou a casinha que ficava ao sul do parque de Greenwich. Quando andava pelo parque, já sentia o cheiro de vinha de lá, ajudando a abrir o apetite. O sanduíche de lá foi preparado com o bacon inglês, que é diferente do bacon que se conhece no Brasil via EUA, e inclui uma parte da barriga e outra do lombo do porco (meio bacon, meio lombo canadense). Este bacon com mais carne e menos gordura é preparado na chapa até ficar bem caramelizado e depois colocado dentro de um roll, o equivalente local ao pão francês. Fica uma delícia e serve como café da manhã ou como lanche.

Lanchonete em casinha verde no meio da rua em Londres

Lanchonete em casinha verde no meio da rua em Londres

Além do abrigo de Greenwich, há mais de uma dezena dessas casinha facilmente reconhecíveis por outras partes da cidade. Na região central de Londres, há uma ao lado da estação de trem de Temple, outra em Embankment e ainda em Grosvenor Gardens e na Kensington Road. Não é nada requintado ou especial, mas o melhor tipo de comida de rua que existe, daquela que se encontra por acaso, na hora da fome, e que deixa mais feliz de que uma refeição completa.

Quando vir uma dessas casinhas pela cidade, pode saber que ali tem boa comida. Não é exatamente uma opção de gastronomia turística, mas é uma das comidas que melhor representa a dieta tradicional londrina – pelo menos a dos profissionais que rodam a cidade dirigindo.

Drive thru vitoriano
As casinhas verdes foram criadas como uma versão prévia dos atuais drive thrus – comida vendida para quem está de passagem. Como os motoristas de táxi de 130 anos atrás não podiam “estacionar” e deixar o veículo para poder ir comer, as cabines passaram a servir como fonte de alimentos para esses trabalhadores. Tudo parte do trabalho de uma entidade filantrópica criada em 1874, a Cabmen’s Shelter Fund, que arrecadou fundos para criar as lanchonetes para oferecer comida barata aos taxistas.

Imagem histórica da cabine servindo a taxistas de carruagens

Imagem histórica da cabine servindo a taxistas de carruagens

No final do século XIX, a lei londrina obrigava os taxistas da época a ficar com seu cavalo e sua carruagem o tempo todo, mesmo em caso de chuva. Dessa forma, esses profissionais do transporte publico ainda rudimentar tinham dificuldade de encontrar abrigo ou um lugar para comer, a não ser que pagassem a alguém que cuidasse do seu “táxi”. Isso levou um grupo de filantropos a criar o fundo dos abrigos de taxistas, que construiu 60 cabanas verdes nas ruas de Londres entre 1875 e 1914.

Bebidas e jogos sempre foram proibidos. Na verdade, um dos objetivos da criação dos abrigos era evitar que os taxistas consumissem bebidas alcoólicas por conta do frio.

As casinhas foram construídas no meio de ruas e avenidas, e não podiam ser maiores de que a carroça que servia de táxi na época. Apesar de serem pequenos, os abrigos chegavam a abrigar 12 pessoas de uma só vez, oferecendo abrigo para chuva e frio, comida, livros e jornais.

A maioria dos 60 abrigos construídos na virada do século deixou de existir. Alguns foram atingidos por bombas durante a Segunda Guerra Mundial, outros foram removidos por conta de reformas nas ruas de Londres, e muitos deixaram de ter importância por conta do desenvolvimento de carros mais bem estruturados e confortáveis, nos quais os taxistas ficam protegidos do mau tempo – e que podem ser estacionados e deixados em qualquer lugar. Isso fez com que os abrigos tivessem se tornado um local de sociabilização, mais de que de proteção contra o frio.

Todas as cabanas são do mesmo tamanho, o mesmo que foi desenhado para ser equivalente a uma carruagem pequena. Até hoje eles ainda têm canos de ferro que originalmente serviam para prender os cavalos.

Na virada do século XIX para o XX, era comum que os taxistas da época carregassem consigo suas próprias xícaras de chá, ou que tivessem sua xícara pessoal guardada na cabana que mais frequentava.

Casinha verde de Russel Square

Casinha verde de Russel Square

Ponto de encontro
Além de fornecer comida barata para os motoristas de táxi, os abrigos se tornaram pontos de encontro para esses profissionais, que têm uma rotina de trabalho bastante solitária, mas que se encontram para conversar e tomar um chá nas pequenas casinhas verdes.

Segundo a rede BBC, as cabanas construídas em madeira continuam sendo frequentadas especialmente por taxistas. Apesar de ser associado a taxistas até os dias de hoje, as cabanas são abertas para qualquer cliente, e é um dos lugares onde se pode encontrar alguns dos sanduíches mais baratos da cidade, além de bom chá e café.
O Cabmen’s Shelter Fund, entidade sem fins lucrativos, é responsável pelas cabines atualmente, assim como desde sua criação. Os abrigos recebem ainda fundos de loterias britânicas, garantindo sua manutenção e o registro da sua importância histórica para Londres.

Atualmente, segundo o Cabmen’s Shelter Fund, 13 cabines continuam em funcionamento em Londres – O site do Fundo não conta, entretanto, com a cabine de Greenwich, um importante ponto de apoio para taxistas no Sudeste de Londres.

Veja a lista completa dos locais onde cabanas verdes funcionam.

Chelsea Embankment – Albert Bridge
Embankment Place
Grosvenor Gardens
Hanover Square
Kensington Park Road – em frente aos números 8-10
Kensington Road – lado norte
Pont Street
Russell Square
St George’s Square, Pimlico
Temple Place
Thurloe Place, Kensington
Warwick Avenue
Wellington Place, St John’s Wood

Assista abaixo a um vídeo da BBC sobre as casinhas verdes (em inglês)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s